“A palavra empreendedorismo tem origem francesa “entrepeneur[1], que significa fazer algo novo. Empreendedorismo é o processo de iniciativa de implementar negócios ou mudanças em empresas já existentes e está muito relacionado à questão de inovação, ontem tem determinado objetivo de criar algo novo dentro de um setor, ou criar um novo setor. Empreender significa transformar uma realidade em que se está inserido, trabalhar com seu próprio empreendimento e buscar sucesso com ele. No entanto, nem sempre a palavra “empreender” vem acompanhada da palavra “lucro” ou “ganhos financeiros”, os objetivos podem ser outros, como ajudar um certo grupo de pessoas, uma comunidade, uma classe social, sem visar o lucro monetário, mas sim algo de valor muito maior, um conhecimento adquirido, uma ajuda, um auxílio e com isso conseguir tornar as pessoas e a comunidade melhor.

De maneira mais ampla, o termo pode se referir a qualquer iniciativa empreendedora feita com o intuito de avançar causas sociais e ambientais. Essa iniciativa pode ser com ou sem fins lucrativos, englobando tanto a criação de um centro de saúde com fins lucrativos em uma aldeia onde não exista nenhuma assistência à saúde, como a distribuição de remédios gratuitos para a população pobre. O empreendedorismo é extremamente importante para a sociedade, pois o ato de empreender está diretamente ligado a atitudes criativas e inovadoras, que também envolve a capacidade de organizar e obter recursos. Alguns autores definem empreendedorismo como sendo o envolvimento de pessoas e processos que, em conjunto, levam à transformação de ideias em oportunidades. 

O empreendedorismo social, antes de tudo, trata-se de uma ação inovadora voltada para o campo social cujo processo se inicia com a observação de determinada situação-problema local, para a qual se procura, em seguida, elaborar uma alternativa de enfrentamento [3]. O empreendedor social visa à maximização do capital social (relações de confiança e respeito) existente para realizar mais iniciativas, programas e ações que permitam para uma comunidade, cidade ou região se desenvolverem de maneira sustentável. Ele faz esses avanços disseminando tecnologias produtivas, aumentando a articulação de grupos produtivos e estimulando a participação da população na esfera política, ampliando o “espaço público” dos cidadãos em situação de exclusão e risco. Para tanto utiliza técnicas de gestão, inovações produtivas, técnicas de manejo sustentável de recursos naturais e criatividade para fornecer produtos e serviços que possibilitem a melhoria da condição de vida das pessoas envolvidas e beneficiadas, através da ação dos empreendedores sociais externos e internos a comunidade.

O empreendedorismo social surge em contextos turbulentos, de crise e desafios econômicos, sociais e ambientais. O meno que é alvo de pesquisas recentes, tem combinado diversas ideias para descrever o empreendedor social, sendo esta flexibilidade dinâmica de noções a principal causa da aparente falta de clareza do conceito [4] Apesar de ser uma vertente do empreendedorismo considerada nova, os empreendedores sociais estão presentes na sociedade há muito tempo e podem ser encontrados ao longo da história. Os empreendedores sociais são motivados por promover o bem estar da sociedade, tendo assim, uma missão social.

Existe uma diferença entre o empreendedorismo social e a responsabilidade social, que pode causar certa confusão. A responsabilidade social é caracterizada por produzir bens e serviços que irão beneficiar a comunidade, mas também a si próprio, e possui como foco o mercado e atende a comunidade conforme a sua missão. Além disso, a medida de desempenho utilizada é o retorno aos envolvidos e stakeholders. Outra característica importante da responsabilidade social, é que ela visa agregar valor estratégico ao negócio, atender expectativas do mercado e da percepção da sociedade e consumidores. Já o empreendedorismo social, produz bens e serviços visando beneficiar a comunidade local e global, e tem seu foco na busca de soluções para os problemas sociais e as necessidades que a comunidade enfrenta. A medida de desempenho utilizada é o impacto e a transformação social gerados pela sua ação. O empreendedorismo social visa resgatar pessoas da situação de risco social e promove-las, gerando capital social, inclusão e emancipação social.”

Fonte – Wikipédia

Programa:

1º Sessão – Avaliação do projecto a ser criado. Análise swot ao projecto. Sistema de valores e crenças.

2º Sessão – Avaliação da marca que vais criar, e o seu impacto emocional, social e financeiro.

3º Sessão – Apoios financeiros ; avaliação de viabilidade de negócio.

4º Sessão – Plano de Marketing a ser desenvolvido para a implementação do projecto

5º Sessão – Apoio ao desenvolvimento do plano, e da sua implementação.

Sessões gravadas e acesso a informação de apoio.

3 sessões online com cada um dos participantes em modo individual, com cada um dos tutores ( sessões agendadas durante a semana , com horário a agendar)

Investimento: 150€

Inscreve-te